Como funciona um protocolo de vacinação

Como funciona um protocolo de vacinação
Como funciona um protocolo de vacinação
Classificação do Usuário: 0 (0 votos)

Vacinar continua sendo o gesto mais efetivo para proteger cães e gatos de diversas doenças com sequelas graves, responsáveis até por mortes com muito sofrimento. A American Animal Hospital Association (AAHA), dos Estados Unidos, defende que, em princípio, somente sejam aplicadas as vacinas “essenciais” nos cães e gatos em geral. Trata-se daquelas que evitam doenças graves disseminadas e que podem ser transmitidas em qualquer lugar ou situação. Nos cães, elas são a cinomose, a hepatite infecciosa e a parvovirose, combatidas pela vacina polivalente V8. E, nos gatos, a panleucopenia, a rinotraqueíte e a calicivirose, imunizadas pela vacina V3. Caninos e felinos precisam também ser vacinados contra a raiva.

As demais vacinas, de acordo com a AAHA, entram na categoria das “não essenciais”. São aquelas que agem contra doenças mais presentes em áreas endêmicas, assim como em cães que ficam expostos a situações de risco, sujeitos a picadas de carrapatos ou ao contato com a urina de ratos, por isso correm risco superior à média de pegar borreliose e leptospirose.

Imunização básica

A estratégia fundamental para a saúde do cães e gatos é proteger bem os filhotes. Eles nascem com pequena quantidade de anticorpos, logo em seguida herdam uma dose extra de imunidade ao mamarem o colostro. Por isso, o programa de vacinação do filhote começa antes de ele nascer, já que cabe abastecer a futura mãe com a maior quantidade possível de anticorpos. Para tanto, aplica-se vacinas polivalente e antirrábica nela imediatamente antes da concepção. Esse cuidado transferirá maior imunidade aos filhotes enquanto estiverem na placenta. Por outro lado, os anticorpos herdados têm um efeito negativo. Eles combatem os princípios ativos das vacinas. É preciso esperar a queda de imunidade herdada para a vacinação fazer efeito. Como esse declínio acontece em momentos diferentes, conforme o tipo do anticorpo é indicado três doses de vacina aplicadas até as 12 a 16 semanas de idade, com posterior revacinação anual, exceto pela antirrábica, que é aplicada em uma única dose.

Tags: