Dor de cabeça tem cura!

Dor de cabeça tem cura!
Dor de cabeça tem cura!
Classificação do Usuário: 0 (0 votos)

Fonte: Sociedade Brasileira de Cefaleia

Uma das queixas mais frequentes do nosso cotidiano são as dores de cabeça (cefaleias). É difícil quem não tenha experimentado ao menos uma vez na vida esse incômodo que são as dores de cabeça.

No geral, as dores de cabeça são benignas e divididas basicamente em: Enxaqueca, Cefaleia tensional e Cefaleia em Salvas e correspondem a aproximadamente 90% das queixas, sendo os outros 10% atribuídos a outras causas mais graves como: Tumores, AVC hemorrágico, Aneurismas, Trombose Venosa Cerebral e Meningite, entre outros.

A Enxaqueca é um tipo bem específico de Cefaleia, que apresenta dores de cabeça muito intensas e com características próprias: 70% dos casos com dor unilateral (podendo ser bilateral também), sensibilidade a luz, a cheiro, a barulho, náuseas, vômito, sintomas visuais, formigamentos, dormências no corpo e tontura.

É uma dor que chega a ser incapacitante para o paciente, levando muitas vezes ao repouso em local escuro e sem barulho, impedindo-o de exercer suas atividades diárias.

A Cefaleia Tensional costuma ser a mais frequente, descrita como uma dor com sensação de aperto, pressão ou peso, envolvendo a cabeça como uma faixa ou capacete. É uma dor bilateral com predominância na região occipital, podendo também ser frontal.

Geralmente possui intensidade leve ou moderada, não sendo incapacitante como uma crise de enxaqueca. Geralmente melhora com relaxamento e/ou atividade física e não costuma ter outros sintomas associados como náuseas, vômitos, etc.

A Cefaleia em Salvas é considerada a mais rara em relação às outras, é mais predominante nos homens e é caracterizada por uma dor muito intensa, unilateral, geralmente em torno da órbita, com duração de 15 a 180 minutos se não tratada. Pode vir acompanhada de vermelhidão nos olhos, lacrimejamento, congestão nasal e queda da pálpebra do mesmo lado da dor.

Existem ainda outros tipos de cefaleias que não serão abordadas aqui.

No Tratamento com a Microfisioterapia, o fisioterapeuta vai, através de toques sutis, identificar a área que apresenta diminuição do ritmo vital a partir da queixa relatada, identificando esses pontos específicos, ele dará o estímulo para que o corpo reconheça o agente agressor (micróbios, toxinas, traumas físicos, traumas emocionais ou traumas ambientais), desbloqueando os traumas que estão causando a dor e estimulando a reprogramação biológica.

O tratamento geralmente é de 3 a 4 sessões, com intervalo de 30 a 45 dias entre cada sessão. Cada sessão tem duração de aproximadamente 1 hora e pode ser realizada tanto em crianças como em adultos.

Experimente viver uma vida mais leve e plena, livre de dores. Faça Microfisioterapia!!!

Dra. Ana Paula Ferreira de Camargo

Fisioterapeuta graduada pela Universidade Paulista Unip

Formação em  Microfisioterapia pelo Instituto Salgado

/draanapaulacamargo

 

End. 1: Av Francisco Glicério, 1266 – sala 11 – Espaço Horizonte

Nova Suiça – Valinhos

19 98160-5032

 

End. 2: Av dos Expedicionários 1203 – Vista Alegre – Paulínia

19 3874-4900